9.3.06

Ó Maria de Jesus, despacha-te!

"O candidato presidencial derrotado e ex-Presidente da República Mário Soares abandonou hoje a Assembleia da República sem cumprimentar o empossado novo Chefe de Estado, Cavaco Silva, e recusando-se a prestar quaisquer declarações aos jornalistas. [...] No entanto, Mário Soares acabou por ter um contratempo, porque se dirigiu às escadas de saída, mas a sua mulher ficou a falar algum tempo com o ex-chefe de Estado de Moçambique Joaquim Chissano. Sozinho nas escadas, o candidato que ficou em terceiro lugar nas últimas presidenciais, com cerca de 14 por cento dos votos, pediu a um dos seus seguranças pessoais para chamar Maria de Jesus Barroso." in Lusa/Público online

10 comentários:

Nigo disse...

Já não bastavam os resultados terem sido péssimos... Marocas, como o povo carinhosamente um dia lhe chamou, nem no seu último(?) dia político conseguiu escapar ileso!

Fernando Bravo disse...

O homem queria sair dali o mais depressa possível! Quanto a ser o último dia político, não sei, não...

Armando S. Sousa disse...

É uma cena deveras triste!
Eu não votei Cavaco Silva, muito menos votaria Mário Soares, no entanto, o Presidente da República merece todo o respeito, e ainda mais, quando uma pessoa, como Mário Soares, passa a vida a falar em respeito pela Democracia.
Mais uma página negra, na biografia de Soares.
Um abraço.

Freddy disse...

"Anda que está quase a começar a Praça da Alegria..."

mixtu disse...

lol,
mas uma cosa é certa, deve ser uma grande seca aquele beija-mão, lol
abraços

Fernando Bravo disse...

armando, eu acho que ele já chegou à fase que não quer saber...

freddy, ele só vê a RTP Memória :D

mixtu, pois é, 900 convidados é dose!

Abraços!

Ricardo disse...

Caro Fernando,

Há coisas que não compreendo e esta tendência de avaliar tudo com dois pesos e duas medidas é uma delas.

Mário Soares assistiu ao discurso de posse e, ao dirigir-se para cumprimentar Cavaco Silva, irritou-se com o protocolo. Supostamente foi colocado atrás das representações estrangeiras e até dos deputados. Resolveu não ir, bem ou mal, mas foi só isso. Pessoalmente considero que fez muito bem já que os ex-Presidentes merecem outro respeito portocolar.

E enquanto todos falam na "página negra" da biografia de Mário Soares esquecem-se que Cavaco Silva nem sequer foi à tomada de posse de Jorge sampaio há 10 anos no estatuto de candidato derrotado.

Critérios... enfim!

Abraço,

A disse...

E o que eu gosto de ver a novela política bem acesa... em chamas!!!!

Não é assim tão importante, a final de contas. Pormenores de um país em sobejante decadência. Burguesias, amuos, faltas de educação ou cortesia... who cares?

Eu borrifo-me total e completamente para o assunto. O buraco na segurança Social continua. Soares há-de morrer, Cavaco também. Eu idem. Toda a gente.

Beijinhos F.Bravo

Fernando Bravo disse...

ricardo, não liguei muito à questão do cumprimento e escrevi este post mais pela segunda parte. Mas, de passagem: então em política o poder não é transitório e etc? Porque raios há-de um ex romper as regras do protocolo (que não foram escritas na véspera nem aleatoriamente)? Tenho uma teoria interessante: o facto de se ter irritado com o protocolo é explicado pelo facto de ele próprio temer estar a perder importância, o que o levou a irritar-se exageradamente com tal episódio. Tal como o medroso se irrita quando, num ambiente não hostil, algo ou alguém lhe faz lembrar a sua condição de medroso.

Fernando Bravo disse...

a, credo! Está bem que vamos todos morrer (bolas, tem mesmo de ser?), mas calma, ainda cá estamos para as curvas. Uns mais que outros, claro :)
Bjinhos