14.3.06

Erotismo, Junta de Freguesia do Rochoso, Prof. Marcelo, Manuela Moura Guedes e Abrupto

"A Portugal Telecom (PT) leva, hoje, à praça, no Tribunal da Guarda, três terrenos penhorados à Junta de Freguesia do Rochoso para cobrar parte de uma dívida superior a 50 mil euros, mais juros de mora contabilizados desde 1998. Uma conta de telefone avultada que resultou das chamadas eróticas efectuadas por um anterior presidente da Junta, que se demitiu pouco depois de rebentar o escândalo."
A notícia completa aqui, com interessantes questões levantadas: a Junta é responsabilizável pelos actos do ex-presidente? Apesar de ter um orçamento e património minúsculos? A PT pode tentar penhorar a sede da Junta ou outros equipamentos que são essenciais para uma entidade autárquica funcionar? Como trabalha depois a Junta? E o Estado Central, não tem nada a dizer? Aceita alegremente que uma entidade pública tenha esta dívida há 8 anos? De mais a mais sendo um órgão autárquico? O Prof. Marcelo, já se pronunciou? Qual foi a boca da Manuela Moura Guedes quando noticiou este caso em 1998? Se se arranjar uma foto do ex-presidente a trabalhar na Junta, o Abrupto publica?

2 comentários:

Freddy disse...

O Abrupto não publica nada e não dá troco a ninguém... Escusas... ;)

Fernando Bravo disse...

freddy, não sei. Acho que a foto do ex-presidente a trabalhar na Junta podia ser publicada pelo Abrupto na sua série de "Imagens do Trabalho". Tu estás é ressabiado porque a tua OPA sobre o Abrupto não resultou... ;)

Abraço!